FOR LADY

FOR LADY

By J.O. Brook e L.B. Brook

Um suspiro saiu bem do fundo, Tereza ultimamente andava desanimada com tudo o que tinha acontecido na sua vida, descobrir uma traição doí muito e principalmente ouvir “Já se olhou no espelho?”, aquelas palavras ditas pelo homem que tinha passado toda a sua vida cuidando eram dolorosas demais, mas ela precisava se reinventar como mãe e acima de tudo como mulher.
Tereza era uma morena com curvas avantajadas, peitos salientes que chamavam a atenção por mais discreta que ela andasse, sua bunda balançava com uma naturalidade de quem desfilava em escola de samba e o seu sorriso era contagiante, acompanhado com aqueles olhos amêndoa que brilhavam constantemente, era uma mulher muito bonita, apenas tinha tido um homem que não a valorizava como mulher.
Uma amiga sabendo da dificuldade de Tereza falou que uma empresa onde ela trabalhava buscava uma mulher para trabalho de escritório para dar assistência ao novo diretor, queriam uma mulher jovem e determinada, com força e coragem para crescer, Tereza sorriu ao ouvir toda aquela descrição para o cargo, eles apenas tinham uma exigência que fosse morena, um sorriso se formou nos lábios da mulher pensando “ Esse emprego é meu!” pegou o endereço com a amiga e lá foi ela tentar a sua sorte.
Um edifício elegante deixou-a com receio, na recepção informou para onde desejava ir e foi entregue um crachá, no elevador algumas mulheres falavam do cargo e de como seria complicado passar, mas que estavam disposta a qualquer coisa para conseguir, aquela conversa foi dando uma aflição nela, assim que a porta se abriu uma recepção diante do elevador denuncia o tipo de empresa que era, uma mulher loira e bem maquiada, parecendo que tinha saído de um anuncio de comercial sorria com alguma altivez, assim que Tereza chegou a recepção foi entregue um documento e a moça falou:
– Preencha, entregue e espere!
Sem dizer nada Tereza sentou-se e como a moça ordenara ela o fez, a sua volta mulheres que mais pareciam modelos concorriam ao mesmo cargo que ela, o tempo foi passando e as mulheres entravam para a entrevista e saiam com rosto de confiança de terem conquistado a vaga, quando chegou a vez dela, respirou fundo e quando colocou a mão na maçaneta pensou nos filhos e sussurrou “É por vocês que vou conseguir!”, abriu e levou um susto.
Sentado atrás de uma secretária estava o homem mais lindo que ela tinha visto em toda a sua vida, um homem branco, cabelo curto e negro, com os olhos mais azuis que ela já tinha admirado, um sorriso perfeito e um corpo que chamava a atenção de qualquer pessoa, por alguns segundos ficou admirando aquele exemplar de homem, tudo nele parecia duro e apetitoso, um calor começou a surgir:
– Pode se sentar!
A voz dele era como um trovão que a fez acordar dos seus pensamentos, Tereza se sentou e entregou a ficha:
– Tereza, porque acho que a devemos contratar? – Falou ele encarando-a com aqueles olhos azuis.
– Porquê? – O diretor acenou com a cabeça confirmando – Eu sou esforçada, empenhada e disposta a tudo para conseguir essa vaga! Depois eu sou Tereza, mãe, mulher, batalhadora, morena e a pessoa certa para a vaga.
A confiança na voz dela, fez com que o executivo sorrisse e ele perguntou:
– Empenhada e disposta a tudo? Sou exigente! – Ao dizer aquilo mordeu o lábio e sorriu.
– A qualquer coisa! – Disse aquilo e passou as mãos pelos seios.
Percebendo o que tinha feito sem pensar, ficou vermelha com a sua atitude, mas aquilo tinha sido um sinal verde para o homem entender o que ela estava disposta a fazer, levantou-se e sentou-se diante dela e falou:
– Posso dar uma coisa! – Tereza sorriu e acenou com a cabeça que sim.
Ele abriu uma caixa e tirou de lá uma embalagem, entregou na mão dela e sorriu maliciosamente:
– Para saber se quer mesmo trabalhar aqui, quero que use! – O tom de voz do executivo agora era de ordem.
Tereza olhou para a embalagem e num frasco discreto com as letras em dourado num fundo rosa, leu “For Lady”, olhou assustada e encarou o homem:
– Disse que estava disposta a tudo, coloque e o emprego é seu! – A ordem veio acompanhada de um grito. – Agora!
Automaticamente a mulher se levantou diante daquele homem, engoliu em seco e respirou fundo, abriu a embalagem e com as mãos tremulas pousou a tampa sobre a mesa, o executivo segurou a mão dela e aproximou-se do seu ouvido:
– Quero ver a colocar uma gota no clitóris, uma na vagina e massagear e as outras eu mesmo vou colocar!
Ouvindo aquilo sentiu-se a ficar húmida, aquele homem e aquela voz eram hipnotizantes que a faziam aceitar tudo sem reclamar, outro se dissesse aquilo ela tinha batido e saído porta fora, mas aquele homem era como um íman que lhe dava a sensação que tinha de obedecer sem reclamar, sem dizer nada Tereza levantou o vestido, tirou as calcinhas pretas de renda e sentou-se na cadeira diante dele.
Abriu as pernas e como ele tinha ordenado assim o fez, sem sentir qualquer vergonha ela colocou uma gota sobre o dedo e sensualmente sem desviar os olhos dele colocou a gota sobre o clitóris, assim que o produto rosado foi colocado uma sensação de aquecimento invadiu-a, era como se um forno fosse ligado dentro dela e os olhos dela ficaram vidrados de prazer, sem perceber o tempo a sua vagina começou a ganhar vida, em seguida aplicou mais uma gota e toda a sua região intima ganhou um aquecimento que lhe dava uma sensação de prazer que ela nunca tinha sentido:
– Está a gostar? – O tom de voz dele ganhou um novo sentido, Tereza acenou com a cabeça que sim – Deixa então eu brincar um pouco!
Diante de Tereza aquele homem se ajoelhou, soprou com delicadeza na direção da vagina dela e uma sensação de aquecimento mais forte fez a mulher sentir um arrepio de prazer por todo o seu corpo, em seguida sem dizer nada, o calor dos lábios dele foram depositados sobre a sua vagina pegando fogo de prazer ou do produto, aquele ato de prazer sentindo os lábios fez com que ela fechasse os olhos e desfrutasse das novas sensações que estava a descobrir, a boca e a língua dele ganhavam vida intensa e deslizavam como se um sorvete delicioso estivesse a ser devorado, os gemidos de Tereza foram abafados pela sua mão para não denunciar o que estava ali a acontecer, os minutos que a sua língua ficaram dançando com a sua vagina pareciam horas.
Em seguida, o executivo olhou para ela e sussurrou ajoelhando diante dela:
– Quero você agora!
Levantou-se e ergueu Tereza, em seguida empurrou tudo o que estava sobre a mesa e deitou a mulher de barriga para baixo, puxou o seu vestido revelando uma bunda deslumbrante, ele sorriu e beijou a nádega dela seguido de um tapa bem forte, aplicou duas gotas no seu dedo e sem nenhuma delicadeza enfiou ele dentro da vagina da Tereza, naquele momento ela contraiu o seu corpo e ficou em êxtase ao se sentir invadida, seu corpo levou um choque de prazer que fez a sua vagina pulsar, aquela sensação de pulsação ela já não sabia se era de prazer ou do produto, os movimentos do dedo dele eram prazerosos ao ponto dela contrair o canal vagina e sentir o primeiro orgasmo, sentiu-se tão molhada que a sua lubrificação fez o produto esquentar mais e pulsar mais, ele tirou o dedo e levantou-se, o som do zíper a abrir anunciou o que estava prestes a acontecer:
– Agora você vai ser minha Tereza, desejei você desde o momento que entrou!
Sem dar tempo para responder Tereza foi invadida, aquele membro duro ao entrar dentro dela fez com que arqueasse o seu corpo sobre a mesa e ele naquele momento segurou com veemência os cachos negros dos seus cabelos, numa dança sincronizada de um exímio praticante o executivo tomou conta da situação, os movimentos fortes e perfeitos esquentavam toda a sua vagina que pulsava por ser invadida e pelo produto que tinha usado, os movimentos ficaram tão intensos que o seu prazer aqueceu como uma chaleira ao lume, queria poder gritar com aquela sensação de prazer, sua vagina descobrira como poderia ter mais prazer e sentir o que nunca tinha sentido, seu corpo foi-se entregando e o orgasmo intenso foi anunciado, quando ela sentiu que o ápice ia acontecer, contraiu a vagina prensando o executivo dentro dela, esse ato fez o homem gemer de prazer e em instantes seus gemidos ficaram fortes, a respiração dele acelerada informou que ele não estava a aguentar mais e…
Bem naquele instante o despertador do lado da cabeceira de Tereza tocou, sua mão bateu nele irritada por estar a ser desperta de um sonho delicioso, sorriu e sentou-se na cama, quando olhou para o lado ali estava ele, aquele corpo perfeito, o cabelo negro que contrastava com a sua pele branca dormia ao seu lado tranquilamente depois de uma noite de muito sexo entre eles, mesmo casados há muito tempo mantinham a chama acessa e os seus sonhos eróticos eram sempre com o mesmo homem, que por sua sorte era o seu marido, agora para ajudar os momentos a dois ela tinha descoberto o For Lady que esquentava, deixava ela mais excitada e sensível, além disso pulsava, a sensação na noite anterior foi tão perfeita que ela tinha sonhado com o produto novamente, sorriu ao olhar para a embalagem e disse:
– Quatro gotas são capazes até de fazer ter um orgasmo no sonho!
Conto escrito por J.O. Brook e L.B. Brook (João e Lidia Ribeiro)

0 Comment

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *